Contador

Mulheres dominam política mossoroense há quase duas décadas e podem estender poder até 2016



Cefas Carvalho

Tendo uma rica história em pioneirismo feminino, o município de Mossoró vem sendo dominado politicamente pelas mulheres há quase duas décadas, com grandes chances deste domínio ser mantido. Os números e a cronologia confirmam esta afirmação. Desde a eleição de 1996, apenas mulheres são eleitas para a Prefeitura Municipal. Mais que isso: desde 1996, apenas mulheres disputam com chances de ganhar.
Vamos aos fatos: em 1992, Rosalba Ciarlini (que havia sido prefeita entre 1989 e 1992) foi eleita prefeita vencendo Sandra Rosado. Em 1996, Rosalba é reeleita vencendo a então enfermeira Fafá Rosado (apoiada por Sandra). Em 2004, a mesma Fafá é eleita (desta vez, apoiada por Rosalba), sobrepujando Larissa Rosado. Em 2008, um replay: Fafá reeleita vencendo Larissa.
Uma curiosidade: uma mulher foi eleita vice-prefeita de Mossoró em 2008 (a ex-deputada Ruth Ciarlini) e em 2004, outra vice-prefeita eleita: Cláudia Regina, hoje vereadora.
A última vez que um homem administrou Mossoró foi Dix-huit Rosado, vencedor da eleição de 1992 sobre Luiz Pinto. Uma curiosidade: falecendo no meio do mandato, sua vice, Sandra Rosado (mãe de Larissa) assumiu a prefeitura. De 1992 para cá, nenhum homem disputou a Prefeitura com chances reais de vencer ou sequer chegando em segundo lugar.

E em 2012? Com a prefeita Fafá sem poder disputar uma nova reeleição e Rosalba Ciarlini no Governo (caso seja eleita) ou no Senado (caso perca), as favoritas para a eleição passam a ser Sandra Rosado (que tenta a reeleição para a Câmara Federal) e, principalmente, Larissa Rosado (que deve ser reeleita para a Assembléia Legislativa sem problemas). Entre os nomes do rosalbismo, duas mulheres: as já citadas Ruth Ciarlini e Cláudia Regina. Sem nomes fortes masculinos na disputa, existem grandes chances de duas mulheres disputarem a Prefeitura e uma delas vencer, levando a hegemonia feminina na Prefeitura (até 2016) para, no mínimo, 24 anos.

Hugo Manso: "As críticas à postura de Garibaldi eu não abro mão, porque tenho que me diferenciar dessa postura. Garibaldi confunde o eleitor do RN"


Entrevista concedida aos jornalistas Cefas Carvalho e Roberto Lucena para a seção "No alpendre do PN", do jornal Potiguar Noticias. Foto de Pedro Primitivo Júnior.

Cefas Carvalho: O que levou o senhor a fazer as críticas a Garibaldi Alves (PMDB)?
Essa situação de ambigüidade vem desde o início do processo. Eu disse, nesse espaço, que o problema é que Garibaldi havia se apaixonado por Rosalba Ciarlini (DEM) e José Agripino (DEM). Nós estávamos sempre de portas abertas para acolher Garibaldi. Nós queríamos que o PMDB estivesse conosco. Eu declarei que seria de bom grado, desde que viesse por inteiro, com tempo de televisão, coligado conosco. Iberê Ferreira (PSB) disse também que convidaria o PT para compor a chapa de vice. Hoje, poderíamos ter uma chapa de Iberê governador, PT na vice e senadores Garibaldi e Wilma de Faria (PSB). Não temos isso por uma opção consciente de um cidadão maduro, com quarenta anos de vida pública, que preferiu fazer uma coligação sem cabeça com o PR e o PV. Assim se processou. Só que a campanha de Garibaldi, desde o primeiro momento, é casada com Agripino e Rosalba.
Essa contradição é muito forte porque são os pólos opostos da política nacional: Lula e a oposição do DEM. Qual é o incômodo? É Garibaldi ir a televisão afirmar ser eleitor de Dilma Rousseff (PT), parceiro de Lula, mas ao mesmo tempo está de mãos dadas com seus principais opositores. Ficamos processando isso a campanha inteira. No dia da convenção tivemos a presença de Henrique Alves (PMDB) no Machadinho. Citou-se o nome de Garibaldi cinco ou seis vezes. Estive com Henrique em Pau dos Ferros. Mais uma vez citou Garibaldi. Em Lajes, Henrique fez um belo pronunciamento e disse “quero pedir desculpas a Hugo Manso, mas eu tenho que expressar meu voto que é Wilma e Garibaldi”. Estivemos em Santo Antônio. Com Henrique, meu comportamento sempre foi de maturidade e tranqüilidade. Agora, as críticas a postura de Garibaldi eu não abro mão, porque ele é meu adversário. Tenho que me diferenciar dessa postura dele, porque Garibaldi cria uma confusão, e essa confusão está se refletindo no comportamento do eleitor do RN. A maioria do eleitor potiguar prefere votar em Dilma e em Rosalba. Nós queremos separar. Nós queremos que o eleitor de Dilma não vote em Rosalba e Agripino. Queremos trazer o eleitor de Dilma para seu programa de governo.
CC: A resposta de Henrique foi exagerada?
Em nenhum momento eu me dirigi a Henrique. Ele disse que eu fui muito áspero com Garibaldi. Não é questão de ser áspero, é questão de que certas coisas se acumulam. Minha postura é de defender o governo Lula e a parceria com Iberê e Wilma. Tenho sofrido muitos incômodos, na campanha, pelo fato de ter uma estrutura muito pequena. Mas tenho me comportado de forma tranqüila e entendo a postura de alguns filiados do PSB que não votam em mim. Mas tenho que colocar os pontos nos is. Garibaldi, criando essa nuvem de dizer que está do lado de Dilma, está levando o eleitor do PDMB a votar em Rosalba e Agripino. Isso não nos interessa. Queremos que o eleitor do PMDB vote com Iberê e Wilma. Mesmo que não vote em mim por causa de Garibaldi, vote em Iberê e Wilma. Agora, se Garibaldi quer se mudar de mala e bagagem para os braços do DEM, vamos disputar o eleitor do PMDB. Chamamos a atenção do eleitor do PMDB para isso.
Roberto Lucena: E como fica a relação do PT e o PMDB agora?
A relação é cordial, mas ao mesmo tempo é fria. O PT não está coligado com o PMDB no RN. Henrique tem ido às nossas atividades esporadicamente. Não é uma constante.
RL: Nesse mesmo ALPENDRE, antes das convenções, o senhor afirmou que não faria uma “dupla dinâmica” com Wilma. Como está a relação com ela?
Tenho uma agenda própria e me encontro com ela em alguns momentos. Nesse mês de setembro, vamos intensificar as movimentações.
CC: Wilma disse que iria casar o voto com o senhor. Mas como o senhor mesmo disse, alguns setores do PSB não votam no senhor. O que parece ser contraditório, pois se o PSB pedisse voto pro senhor, tiraria votos de Garibaldi e Agripino, concorda? Como avaliar isso?
Eu espero que eles corrijam esse erro até o dia da eleição. De fato, nem toda a coligação nossa se empenha efetivamente em minha candidatura. Isso é ruim para mim e para a coligação. Fragiliza. É ruim para Wilma porque sei que ela é a prioridade. Quanto mais votos eu conseguir tirar do lado de lá, melhor para Wilma. Esse discurso está claro: há um erro estratégico. É natural que pessoas do PMDB votem em Wilma e Garibaldi. Mas o grosso da nossa coligação precisaria ser Wilma e Hugo para potencializar a vitória.
RL: Como o senhor avalia os números das pesquisas que não o colocam em uma boa posição?
A leitura é o retrato daquele momento. De fato, Garibaldi, Agripino e Wilma são muito mais conhecidos que eu. É natural que apareçam em melhor posição. Acredito que a diferença será pouca entre cada um. O problema é o segundo voto. As pesquisas têm dificuldades em detectar o segundo voto, pois muitos nem sabem que podem votar duas vezes. Meu potencial é crescer no segundo voto. Para crescer nas pesquisas, só vejo o caminho de mostrar que há uma contradição, um oportunismo eleitoral na aliança de Agripino, Rosalba e Garibaldi. Eles fizeram esse pacto no Senado e tentam sobreviver à custa disso. Esse pacto é contraditório e precisamos mostrar isso.
RL: Um dos personagens que mais aparece no programa eleitoral é o presidente Lula. Ele não é candidato, mas a imagem dele é disputada pelos candidatos. Até onde Lula tem o poder de decidir a campanha no RN?
Primeiro quero dizer que é muito bom para gente do PT chegar nessa situação. Na primeira eleição direta no país, quando o presidente era José Sarney, havia mais de vinte candidatos e ninguém queria vincular a imagem a Sarney. Hoje, todo mundo quer se vincular a Lula. Dilma se distanciou de Serra com mais de vinte pontos. Ninguém esperava isso. Por outro lado, vem a consciência do eleitor. É preciso saber separar quem construiu com ele [Lula] um conjunto de políticas e quem está falando por oportunismo, por puro caronismo político. Tem muita gente pegando carona nesse cometa chamado Lula, chamado Dilma. Eu falo e uso a imagem de Lula na minha propaganda política porque tenho trinta anos de filiação no mesmo partido.

Festival de Teatro da FJA tem inscrições abertas

Continuam abertas até o dia 22 de setembro, as inscrições para o Festival Agosto de Teatro. Este ano, o Festival acontecerá entre os dias 09 e 16 de outubro em diversos palcos da cidade. O edital e a ficha de inscrição estão disponíveis no site da FJA (www.fja.rn.gov.br). Serão escolhidos 20 espetáculos de grupos/companhias teatrais do Estado do Rio Grande do Norte e cada um deles será contemplado com um cachê no valor de R$ 3.000,00 (três mil reais), sujeitos aos descontos previstos por lei.

As inscrições podem ser feitas no Teatro Alberto Maranhão das 13 às 18 horas, de segunda a sexta-feira, ou pelo Correios, via Sedex para: Coordenação do Festival Agosto de Teatro - Teatro Alberto Maranhão, Praça Augusto Severo S/N – Ribeira. Cep: 59012-380 – Natal/RN. Este ano o festival está mais interativo e conta com um blog onde serão postadas todas as novidades: www.festivalagostodeteatro.blogspot.com. Outras dúvidas podem ser tiradas com a equipe de produção no telefone (84) 3232 9702.

Projeto cultural leva voto consciente a jovens


Cidadania e Eleição. Este é o nome de um projeto que vem tentando conscientizar jovens e adultos quanto a importância de se votar com consciência. O coordenador do projeto, pedagogo e funcionário do IBGE Hugo Tavares, explica que o projeto teve como “pai” ainda na década de 70 o Monsenhor Expedito, que fazia cartilhas em verso e prosa para distribuir para a população mais simples sobre como votar e o voto consciente. O lema de Monsenhor Expedito era “Voto não se compra. Consciência não se vende”
“Resgatamos a partir de 2004 na Rádio Comunitária Santa Rita, em Santa Cruz, este projeto com a produção de folhetos de cordel como cartilhas sobre o voto consciente”, afirma Hugo. Com o apoio da professora Sandra Santos, as cartilhas foram trabalhadas em diversas salas de aula no município.
Segundo Hugo, a “experiência foi interessante e decidimos na eleição de 2006 produzir onze cartilhas para trabalho em sala de aula de diversas cidades da região do Trairí, com apoio do Sindicato dos Professores”, lembra. Em 2008, a decisão de aumentar a dimensão do projeto: a produção de 15 mil cartilhas (em folhetos de cordel) e 500 CDs acústicos com canções sobre voto e cidadania.
Hugo explica que o material produzido agora em 2010, também milhares de cartilhas e CDs, não é para venda, mas para doação para quem queira trabalhá-lo em sala de aula, grupos jovens, ONGs, etc.
APOIOS
O material do projeto (CDs e cartilhas) foi viabilizado graças aos apoios de Maré Mansa, Sinte-RN, blog do Wallace, Mega Estúdio, Awa Publicidade, Pereira Material de Construção, Canaã Informática, Esquina Veículos, Gráfica Sul e Blog Oliveira.
Para mais informações sobre o projeto, acesse www.cartilhaeleicao.com.br, hugotavaresdutra@yahoo.com.br ou ligue para 9992-8151.

AAPP abre exposição na galeria do IFRN


A Associação dos Artistas Plásticos Potiguares (AAPP) inaugurou uma exposição na galeria de arte do Instituto Federal do RN (IFRN). A inauguração foi no último dia 17, e contou com a presença do presidente da Associação de Artistas Plásticos do Estado, Victor Hugo Zamora, com o diretor do IFRN, Lerson Fernando e da curadora da exposição, Mara Mattos. Também estiveram presentes artistas plásticos, estudantes e interessados.
A diretoria do IFRN e a AAPP estão viabilizando a possibilidade de inaugurar e manter uma galeria permanente com as obras dois artistas associados. Para Victor Hugo, “estamos otimistas em relação a esta galeria permanente, o que seria ótimo para os artistas plásticos norte-riograndenes”, afirmou.
O presidente disse ainda que conta com a sensibilidade da IFRN no sentido de viabilizar a galeria permanente. A exposição da AAPP estará aberta até o dia 17 de setembro.

FCDL/RN empossa nova diretoria da CDL-Macaíba

Aconteceu, na noite daterça-feira, 24, a posse da nova diretoria da Câmara de Dirigentes Lojistas de Macaíba (CDL-Macaíba). O novo presidente e demais diretores foram empossados pelo presidente da Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas do Rio Grande do Norte (FCDL-RN), Marcelo Rosado. A CDL-Macaíba é uma entidade ligada a Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e FCDL/RN.
Assumiu a presidência da CDL-Macaíba, pelos próximos três anos, o advogado e empresário Roberto Ney Pinheiro Borges. Ele tem 44 anos e administra, há 18 anos, a empresa Doce Mel Boutique e o espaço Happy Mall, este há cinco anos.
Roberto Ney Pinheiro aceitou presidir a CDL-Macaiba, pois pretende, junto com a sua diretoria, a FCDL/RN e o Sindicomércio, buscar melhorias para o comércio local.
A cerimônia de posse contou com a presença da prefeita de Macaíba, Marília Dias, dos vereadores do município, secretários, além de representantes da classe empresarial e da sociedade macaibense.

Festival de Cinema de Veneza divulga filmes concorrentes e terá início no próximo dia 1º


Na próxima quarta-feira 1º de setembro terá início o Festival de Cinema de Veneza, um dos três maiores do mundo (os outros dois são Cannes e Berlim). Como sempre, o Festival norteia os cinéfilos sobre os filmes a se esperar e mostra um painel do que está sendo feito pelo mundo afora. Muita coisa na lista dos filmes que concorrem ao Leão de Ouro chama a atenção, mas, em especial, o filme que abre o Festival: "Black swan" (Cisne negro) de Darren Aronofsky (conhecido por "O lutador" mas cuja obra prima é o magnífico "Réquiem por um sonho") e estrelado pela musa Natalie Portman, bela como nunca como se pode conferir na foto de divulgação do filme. Segue abaixo os filmes da mostra competitiva:

* Black Swan (Darren Aronofsky, E.U.A)
* La Pecora Nera (Black Sheep) (Ascanio Celestini, Itália)
* Somewhere (Sofia Coppola, E.U.A)
* Happy Few (Antony Cordier, França)
* La Solitudine dei numeri primi (The Solitude of Prime Numbers) (Saverio Costanzo, Itália)
* Ovsyanki (Silent Souls) (Aleksei Fedorchenko, Rússia)
* Promises Written in Water (Vincent Gallo, E.U.A)
* Road to Nowhere (Monte Hellman, E.U.A)
* Balada Triste de Trompeta (Álex de la Iglesia, Espanha)
* Vénus noire (Black Venus) (Abdellatif Kechiche, França)
* Post Mortem (Pablo Larraín, Chile)
* Barney’s Version (Richard J. Lewis, Canadá/Itália)
* Noi credevamo (We Believed) (Mario Martone, Itália)
* La passione (Carlo Mazzacurati, Itália)
* Thirteen Assasins (Takashi Miike, Japão)
* Potiche (François Ozon, França)
* Meek’s Cutoff (Kelly Reichardt, E.U.A)
* Miral (Julian Schnabel, Reino Unido/Israel/França)
* Norwegian Wood (Tran Anh Hung, Japão)
* Attenberg (Athina Rachel Tsangari, Grécia)
* Detective Dee and the Mystery of Phantom Flame (Tsui Hark, China)
* Drei (Three) (Tom Tykwer, Alemanha)

Vereador Clenio pede melhorias para o bairro de Santa Tereza, em Parnamirim


Preocupado com o crescimento urbano da cidade de Parnamirm, o vereador Clenio José (PV) preparou uma série de indicações para os bairros que estão em área de expansão urbana. É o caso do bairro de Santa Tereza, localizado aos redores do CT do América que sofre com vários problemas de infra-estrutura pública.
Observando as necessidades do bairro, o edil do PV solicitou a Secretaria de Obras que sejam pavimentadas as ruas Presidente Costa e Silva, Presidente Garrastazu Mendes, Presidente Epitácio Pessoa, Presidente Artur Bernardes e Presidente João Goulart, visto que essas vias ainda estão com estrada de terra e quando chove não ficam em situação transitável , atrapalhando o direito de ir vir da população local. Além dessas indicações, Clênio ainda pediu que fossem destinado esforços para se construir uma Creche na comunidade do Jardim América, no mesmo bairro, e também uma Academia da Melhor Idade junto com um caminhódromo já que a distancia do caminhódromo mais próximo (do bairro Cohabinal) é enorme. O objetivo maior das academias é dar mais qualidade de vida aos munícipes, porém para isso ocorrer é necessário o acesso da população a aparelhagem.
“Estamos antenados com os problemas do parnamirinense e estamos procurando dar uma melhor qualidade de vida aos nosso povo que precisa de mais lazer, segurança e educação. Vamos sempre trabalhar nesse sentido", concluiu Clenio.

Lançamento de livro de Carmen Vasconcelos e Sarau da Aliança Francesa marcam a noite cultural deste dia 25


Dois eventos culturais marcam a noite desta quarta-feira dia 25. Na Siciliano no “Miduei”a poeta Carmen Vasconcelos lança às 19h seu terceiro livro, “O Caos no Corpo”, que reúne 81 poemas, divididos em cinco partes – O Corpo, A Casa, Elogio do Clitóris, Cânticos do Cântico e O Caos. Na ocasião, Carolina Vasconcelos, filha da poeta, também lança o livro “Contos do Mundo Mágico”.

Também às 19h, haverá mais uma edição do Sarau da Aliança Francesa, desta vez homenageando o escritor, jornalista e artista plástico Leonardo Sodré. Vale a pena conferir ambos os eventos culturais.

Desmoronamento da frente PSDB-DEM


Luis Nassif

A grande tragédia política dessas eleições será o fim quase completo da frente PSDB-DEM, a única que poderia oferecer uma oposição consistente ao novo governo, que será empossado em 1º de janeiro de 2011. Não existe governo, por mais virtuoso, que resista a um mandato sem oposição. E este é o risco que o Brasil corre, com os erros cometidos pela oposição nas atuais eleições. A avaliação é de João Francisco Meira, diretor-presidente do Instituto Vox Populi.Em meados do ano passado, a partir de conversas com Meira e de reflexões próprias, parlamentares do DEM – como o ex-deputado Saulo Queiroz – alertaram para as dificuldades que haveria em uma provável candidatura José Serra. Estava claro para eles a quase impossibilidade de vitória de Serra, por um conjunto de fatores.
O alerta de nada adiantou.
Em março, durante Congresso da Associação Brasileira de Empresas de Pesquisa (ABEP), Meira alertou mais uma vez que a eleição já estava decidida para Dilma Rousseff. Tanto o Vox Populi quanto o Instituto Sensus trabalhavam com modernas técnicas de pesquisa, visando antecipar tendências do eleitorado.
A metodologia era simples. Parte relevante do eleitorado não sabia ainda que Dilma era candidata de Lula. Mas certamente saberá no dia das eleições. A técnica consistia em antecipar aos pesquisados as informações. A partir daí, se chegaria a um resultado muito mais próximo do resultado final das urnas.
No encontro, houve um forte questionamento do Instituto Datafolha, para quem pesquisas não deveriam antecipar tendência.
É uma bela discussão conceitual. O que interessa em uma pesquisa eleitoral: saber qual o resultado se a eleição fosse hoje ou tentar antecipar o resultado final da eleição? A fronteira da pesquisa de mercado é justamente antecipar tendências, explica Meira.
Nos meses seguintes, um inferno se abateu sobre os Institutos que seguiram essa nova metodologia – Sensus e Vox Populi. Foram atacados pelos jornais.
O momento mais dramático dessa história foi quando, estimulado pelas matérias da Folha, o PSDB entrou na justiça eleitoral exigindo a auditagem da pesquisa do Sensus. O Instituto amanheceu com um estatístico convocado em São Carlos, com a polícia, para garantir a vistoria, e com um repórter da Folha (empresa proprietária do Datafolha) para escandalizar o acontecimento.
Não se encontrou nenhuma irregularidade na pesquisa. Mais que isso, à medida que os dias iam passando, confirmava-se integralmente o acerto do Sensus e do Vox.
O próximo desafio de Meira será produzir um trabalho acadêmico a respeito das conseqüências do viés das pesquisas. Em um primeiro momento, aumentou a desinformação da opinião pública. Agora, há muita gente perplexa com um resultado que já era previsível desde o ano passado.
Ao comprar a ideia de que Serra era competitivo, contra toda a evidência de um ano atrás, a oposição acabou indo para o caminho que Lula queria.
Meira equipara esse episódio às grandes tragédias shakespeareanas, de desdobramentos terríveis quando se toma a decisão errada na política, na guerra e no amor. Os fatos acabam voltando no meio da sua testa, com fúria redobrada.
Caminhos alternativos
Se não se tivesse embarcado nessa armadilha das pesquisas com viés, a oposição teria tomado outro caminho. Constataria que Lula inaugurou um novo tempo na política brasileira e tentaria se adequar a esse novo cenário, pensando em um pacto progressista, que permitisse reformas estruturais do Judiciário, reforma fiscal, estrutura tributária. Não venceria as eleições, mas sairia preservada.

A queima das caravelas

Em vez disso, queimaram-se as caravelas e se chegou ao final da tragédia, com a aniquilação quase completa da estrutura DEM-PSDB. Vai sobrar Aécio Neves, em Minas, Kátia Abreu em Tocantins, talvez Roseane Sarney (embora no PMDB) no Maranhão. Cesar Maia corre o risco de não se eleger, assim como Agripino Maia e outros caciques. A nova geração de centro-direita, esperança de um revigoramento da oposição, será arrasada nas eleições.
O final da tragédia
Levará no mínimo oito anos para se recompor a oposição, com todos os inconvenientes que trará para o aprimoramento democrático do país. O final da tragédia será em São Paulo. Geraldo Alckmin será eleito, possivelmente com folga. Mas há grande probabilidade de Serra perder no seu próprio estado, a partir do qual se produziu a fantasia que liquidou com a oposição em todo país.

Concorrência pública escolherá empresa gestora da ZPE do Sertão

A Comissão Permanente de Licitação da Prefeitura de Assu publicou edital de Concorrência Pública para escolher empresa que irá administrar a ZPE do Sertão. O prefeito Ivan Júnior estabeleceu o dia 5 de outubro para a realização do certame público, na sede da CPL, no Centro Administrativo.
A concorrência nacional tem por objetivo a concessão direta da implantação e administração da Zona de Processamento de Exportação (ZPE) da região – ZPE do Sertão. Informações, edital na íntegra e o anteprojeto estarão disponíveis no período de 28 de agosto a 30 de setembro, no horário das 08h às 12h, na sede da comissão. Outros dados podem ser fornecidos pelo telefone (84) 3331-6300, (84) 3331-6300 e e-mail cpl@assu.rn.gov.br.
Também foi publicado no Diário Oficial do Município portaria constituindo uma Comissão Especial de Licitação para a concorrência nacional. Dela fazem parte os integrantes da Comissão Permanente: Vera Lúcia Barbosa Dantas Albino (presidente), Francisco Raniere Batista de Araújo e Luzia Sayonara Eufrázio Bezerra, além dos secretários Francisco de Assis Souto (secretário de Meio Ambiente), Francisco Paulo de Morais (secretário de Ciência, Tecnologia e Desenvolvimento Econômico), Isaías Peres da Fonseca (secretário de Obras), Karla Rachel Soares Bezerra (secretária de Urbanismo), Maira Leiliane Oliveira Almeida (secretária de Desenvolvimento Social), Paulo César de Brito (secretário de Agricultura, Pecuária e Pesca), Reci de Oliveira (secretário de Articulação Comunitária), Ricarte Legítimo Barbosa (secretário de Tributação), Romildo de Queiroz Minervino (secretário de Turismo), e Samuel Fonseca de Assis (secretário de Serviços Públicos).

Três famílias dominam Governo e Senado no Rio Grande do Norte há mais de meio século


Cefas Carvalho e
José Pinto Junior


Desde os tempos antigos que o poder político tradicionalmente se concentra nas mãos de famílias. Era assim nos impérios, nas monarquias e continuou assim no regime democrático, pelo menos em alguns lugares. No Rio Grande do Norte, como em boa parte do Nordeste, quem detém o poder político há décadas são famílias. Poucas famílias. No RN, menos de dez famílias dividem (e se alternam nele) no poder).
Na verdade, três famílias concentram a maior parte do poder político no estado há mais de 50 anos. Trata-se das famílias Alves, Maia e Rosado. Destes três grupos familiares, já saíram 6 governadores, 6 senadores e dezenas de deputados federais e estaduais.
Dos candidatos ao Governo do Estado este ano, dois (Carlos Eduardo e Rosalba Ciarlini) pertencem a estas famílias.
ALVES
O poder/projeto político da família começou com Aluizio Alves. O prestígio de Aluizio impulsionou a carreira política do irmão Agnelo Alves e a cassação dos direitos políticos dos dois, anos 60 e 70, e gerou uma nova geração de políticos da família, como Henrique Alves e Garibaldi Alves Filho. Posteriormente, surgiram Carlos Eduardo Alves e Ana Catarina Alves. A novíssima geração é representada pelo filho de Garibaldi, Walter Alves, deputado estadual.
MAIA
O patriarca foi Tarcísio Maia, filho do político paraibano João Agripino Maia, que militou na política nos anos 60 e veio a tornar-se governador nos anos 70. Seu primo, Lavoisier Maia, foi governador nos anos 80. O filho de Tarcísio, José Agripino Maia, tornou-se a estrela maior da família, tendo sido governador duas vezes e senador hoje, em segundo mandato. Uma curiosidade: Wilma de Faria já foi Wilma Maia, quando casada com Lavoisier e iniciou a carreira política. O filho de Agripino, Felipe Maia, representa a nova geração.
ROSADO
Pai de 21 filhos, Jerônimo Rosado deu origem ao clã mais diversificado de políticos, que comanda Mossoró há mais de meio século. De seus filhos, surgiram prefeitos (Dix-huit e Vingt), senadores (Vingt) e um governador do Estado (Dix-sept). Os netos seguiram carreira igualmente vitoriosa (Sandra Rosado, Carlos Augusto Rosado – e a esposa deste, Rosalba Ciarlini – Fafá Rosado, Betinho Rosado). E a nova geração já se apresenta como Larissa Rosado (filha de Sandra e Laíre).

EMERGENTES

Existem ainda famílias de menor porte político, ou que dominam há menos tempo. mas que têm considerável força, seja em aspectos específicos do poder, seja em regiões.
FARIA
Tendo sido quase nomeado governador, Osmundo Faria conseguiu fazer do filho Robinson deputado estadual ainda muito jovem. A partir daí, Robinson ganhou nprestígio e tornou-se presidente da Assembléia por duas legislaturas seguidas, fazendo do seu filho Fábio Faria o deputado federal mais votado em 2006.
FARIA
Wilma deixou de ser Maia, auto-denominou-se nova força e “terceira via” e depois de exercer a Prefeitura de Natal por três vezes, elegeu-se governadora do Estado. Com isso, fez a filha Márcia Maia deputada e agora luta para reeleger a filha e também fazer do filho Lauro Maia, deputado.
SOUZA
Senador populista, Carlos Alberto de Souza marcou época na política popular e deixou uma herdeira empresarial (TV Ponta Negra) e política, Micarla de Sousa, que se elegeu deputada e em 2008, prefeita de Natal. Hoje, Micarla quer fazer seu próprio grupo familiar, tentando eleger o marido Miguel Weber deputado estadual e a irmã Rosy de Sousa deputada federal.
FERREIRA DE SOUZA
Núcleo familiar-político do atual governador do Estado, Iberê Ferreira de Souza, que conta ainda com o deputado estadual Ezequiel Ferreira de Souza e com a vice-prefeita de Currais Novos, Milena Ferreira. O pai de Iberê, Odorico, foi prefeito de Santa Cruz, e o tio José, foi deputado federal.
OUTRAS
Há famílias que detém poder político, mas restrito a uma região ou limita-se a poucos membros. É o caso dos ARRUDA (Leonardo Arruda já foi deputado estadual e hoje a filha Júlia é vereadora em Natal); dos REGO (Getúlio é deputado estadual e o filho Leonardo, prefeito de Pau dos Ferros); nos MARINHO, Rogério é deputado federal. Duas famílias que já detiveram considerável poder no Estado não foram listadas nesta reportagem por nenhum membro deter cargo eletivo de importância. Os Melo (Geraldo já foi governador e senador), os Frei­re (Fernando já foi governador e Jessé, deputado federal) e os Mariz (Dinarte, governador e seu filho, Wan­derley, deputado federal).

Torneio de kite surf será realizado no RN em setembro


O presidente da Associação de Kitesurf e surf do Rio Grande do Norte (AKSRN), Gaspar Nascimento, participou de reunião semana com o presidente da Empresa Potiguar de Promoção Turística do RN (Emprotur), Gustavo Porpino que confirmou apoio para a realização do 2º Dream kite ,que acontecerá de 27 a 29 de agosto, na praia de Barra do Cunhaú, no litoral sul do Estado do Rio Grande do Norte.
Acompanhado do diretor da AKSRN, Alan Albuquerque, Gaspar afirmou que é com muito orgulho que lança o evento recorde em numero de atletas já realizado no Brasil na sua edição 2010". A praia de Barra do Cunhaú e a AKSRN – Associação de Kitesurf do Rio Grande do Norte convida a todos os atletas amadores e profissionais para mais uma vez colorirem o céu do Rio Grande do Norte. E disse ainda que o Dream kite foi o evento que lançou a Praia de Barra do Cunhaú para o mundo e trouxe em 2009 o munsial PKRA e o (OBK) Open Brasil de Kite Surf.O Dream kite tem a tradição de ser um evento todo voltado para os atletas, em todos os sentidos realizando “Dream’’ o sonho de estarem em um lugar perfeito com tudo de melhor para os participantes, afirmou Gaspar. O evento é organizado pela AKSRN e conta com apoio da Emprotur, Hotel Blue Dream resort, Villa Brasil Incorporações Imobiliárias e Brazil-Kiteboarding.

Ginasta potiguar é convocada para Olimpíadas 2012


O Rio Grande do Norte está muito próximo de garantir a sua primeira representante nos Jogos Olímpicos de 2012, que serão realizados em Londres. Isso porque a ginasta potiguar Ana Cláudia Silva foi convocada mais uma vez para a Seleção Olímpica Permanente, que é justamente o grupo que vai representar o Brasil nas principais competições, terminando esse ciclo nos Jogos Olímpicos de 2012.
“Estou muito feliz por permanecer nesse grupo. Não existe felicidade maior para um atleta do que participar dos Jogos Olímpicos. Dedico a todo povo do meu estado, o Rio Grande do Norte”, comentou a ginasta.
E Ana Cláudia Silva pode falar com convicção o prazer de participar dos Jogos Olímpicos. A atleta disputou as Olimpíadas de 2008 e foi uma das grandes destaques do Brasil, mesmo com apenas 16 anos e sendo a mais jovem do grupo. A natalense competiu em duas finais daquela edição.
Mas apesar da euforia com essa convocação para a Seleção Brasileira, Ana Cláudia sabe que ainda é preciso vencer mais etapas para realmente participar das Olimpíadas de Londres, uma vez que o Brasil terá que se classificar para a competição durante o Mundial do próximo ano.
“O caminho já está de 70% a 80% andado. Temos agora que nos esforçarmos a cada dia para fazermos um grande mundial. Tenho certeza que nosso grupo tem essa capacidade e vamos chegar bem em mais uma Olimpíada”, salientou.
PALESTRAS
A ginasta diz que a convocação saiu em um excelente momento da carreira, pois ela viu que o povo do Rio Grande do Norte está reconhecendo o seu trabalho.
Na semana retrasada, ela participou de uma série de palestras em escolas como parte da programação da Semana Olímpica, evento organizado pelo Comitê Olímpico Brasileiro em parceria com a Secretaria Estadual de Esporte e Lazer.
“Foram momentos de intensa felicidade que passei em Natal. Nunca senti tamanho reconhecimento do público, dando tantos autógrafos e participando de diversas entrevistas. Tenho que agradecer, sobretudo, ao Secretário Estadual de Esportes, Júlio Protásio, que me deu essa oportunidade. Espero que seja também um passo para conseguir patrocinadores, pois nunca vesti uma marca potiguar e queria ter esse prazer.”

Candidatos de Parnamirim usam redes sociais na internet para expor problemas

As eleições deste ano ganharam um palanque eletrônico diferente que promete fazer a diferença na hora da captação de votos. Trata-se do “twitter”, a rede social que mais cresce no inesgotável espaço virtual da internet. Na briga pelos votos, até mesmo os presidenciáveis como Dilma Rousseff (PT), José Serra (PSDB) e Marina Silva (PV) possuem perfil no microblog. Em Parnamirim, os candidatos a deputado estadual também usam a ferramenta. Entre estes, Agnelo Alves (PDT) e Rosano Taveira (PRB) são os mais assíduos.
Recentemente, o presidente da Câmara de Parnamirim usou o espaço para, como ele mesmo anunciou, “desabafar”. Taveira escreveu: “ Pelo amor de Deus, me deixem em paz, enquanto vocês tentam me atingir de maneira sórdida e desonesta, eu continuo trabalhando”. O político não especificou quem eram seus algozes, nem que tipo de desonestidade tentavam lhe aplicar.
Já o ex-prefeito usa o espaço virtual muitas vezes para criticar seus adversários. Entre uma alfinetada e outra, relata também o que está ouvindo durante a campanha.
“Por onde ando, a principal reivindicação das pessoas não é outra coisa além desta: uma vida tranquila com a segurança pública efetivada”, escreveu Agnelo Alves.
CALADOS
Apesar de também possuírem perfis no twitter, o vereador Sérgio Andrade (PP) e o deputado estadual Gilson Moura (PV) não utilizam a ferramenta cotidianamente. Os comentários acontecem esporadicamente.

Femurn integra prefeituras do Rio Grande do Norte e luta pelo municipalismo


Criada em 25 de janeiro de 2001, a Federação dos Municípios do Rio Grande do Norte (Femurn) tem como finalidade principal a representação dos Municípios do RN, procurando integrá-los como comunidade Estadual, defendendo os seus interesses, assistindo e assessorando os Prefeitos.
E como uma das formas de atingir este objetivo, a federação oferece atualmente quatro soluções para seus filiados que são: O Diário Oficial Eletrônico, um sistema de gestão para o ISS, a assessoria para a montagem de uma previdência própria e ainda um portal do empreendedor.
Para o prefeito de Lajes e presidente da Femurn, Benes Leocádio, "a Femurn tem sido historicamente a voz e a força dos municípios potiguares, trabalhando em sintonia com a Confederação Nacional dos Municípios, da qual somos vice-presidente e também com as associações micror­regionais de municípios. Temos feito conquistas, como a melhoria na distribuição do ICMS e continuamos mobilizados em busca de melhores condições para os municípios, sobretudo os pequenos.
Atualmente, estamos empenhados na luta pelo melhor financiamento da Saúde e pela melhor distribuição dos royalties do petróleo. No plano local, reestruturamos a Femurn, estamos oferecendo aos municípios ferramentas modernas visando a melhor prestação de serviços e a modernização administrativa. Por tudo isso, a Femurn tem sido, graças à união dos prefeitos e as parcerias, um importante instrumento de fortalecimento do municipalismo".
Dentro deste processo de reestruturação que a Femurn vem implementando, é que os novos serviços ou soluções, como o secretário da instituição Adauto Galvão prefere chamar, estão possibilitando aos prefeitos novas ferramentas administrativas.
Diário Oficial
A que mais tem tido procura por parte dos prefeitos é o Diário Oficial Eletrônico.
A Femurn comprou toda uma tecnologia e está oferecendo aos seus associados a possibilidade de terem nos seus próprios municípios o Diário Oficial Eletrônico.
O sucesso do novo serviço já garantiu que até o momento 62 municípios procurassem a Femurn para implantar o boletim, que, como explica o secretário, tem validade oficial.
Adauto conta ainda que o assessoramento aos prefeitos com relação ao andamento e previsões do Fundo de Participação dos Municípios (FPM), do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Prestação de Serviços (ICMS) e demais receitas de forma antecipada, tem sido outro importante serviço oferecido aos prefeitos, já que podem saber antecipadamente o quanto vão dispor de fato para poderem administrar suas cidades.
O inter-relacionamento entre os órgãos das esferas estadual e federal com as prefeituras é outra atividade constante realizada pela Femurn, visando dar todo o apoio aos administradores.
Novidades
Entre as novidades que a Federação dos Municípios prepara para seus associados, está a ampliação da assessoria jurídica já existente para os prefeitos, bem como a mudança para uma nova sede mais ampla para melhor atender os gestores municipais, seus assessores e secretários.
A Fermurn funciona e sobrevive em função de doações, contribuições ou legados de pessoas físicas ou jurídicas de direito público ou privado.
São seus filiados e/ou associados todos os Municípios do RN, representados pelos seus prefeitos em pleno exercício dos seus mandatos. O valor da contribuição de cada município foi estipulado e aprovado em assembléia geral.

No RN, Dilma lidera e Lula chega a 90% de aprovação no Estado, segundo Ibope


Na pesquisa Ibope/Intertv, a candidata à presidência da República, Dilma Rousseff (PT), alcançou 53% da preferência dos eleitores potiguares. O número é quase o dobro do atingido pelo seu principal adversário, José Serra (PSDB), que foi citado por 29%, enquanto Marina Silva (PV) recebeu 9% das preferências. Os demais candidatos não foram citados.

Os que pretendem votar nulo ou em branco somaram 5% e os indecisos 6%. Em relação à pesquisa Ibope do último sábado, Serra e Marina mantiveram o mesmo percentual e Dilma subiu três pontos. A maior preferência pelo nome de Dilma está entre os eleitores de Iberê Ferreira, com 62%, enquanto 54% dos de Carlos Eduardo e 52% dos de Rosalba Ciarlini votam na candidata apoiada pelo presidente Lula. José Serra recebe os votos de 31% dos eleitores de Carlos Eduardo e de Iberê e de 29% dos que optam por Rosalba.

A preferência, do eleitor potiguar, pela candidata à Presidência do PT reflete, em parte, a aprovação recorde do governo federal. A administração do presidente Lula, de acordo com a pesquisa Ibope/Intertv é aprovada por 90% dos potiguares, dos quais 54% a consideram ótima e 36% boa. Somente 8% responderam regular, 1% ruim e 1% péssima. A menor aprovação é em Natal (86%) e a maior entre quem estudou até a 4ª série do ensino fundamental (94%). O índice é praticamente o mesmo entre eleitores de Iberê (93%), Carlos Eduardo e Rosalba Ciarlini (ambos 91%).

Virada Cinematográfica: filmes de arte de meia-noite às 6 da matina no Cinemark


No dia 4 de setembro, acontecerá no Cinemark do "Miduei Mol" a edição natalense da “Virada Cinematográfica”. Trata-se de um projeto, em Natal coordenado pelo Cine Cult, na qual são exibidos 3 longas metragens inéditos na cidade das 23h59 até as 6h da manhã seguinte.
“Nos intervalos dos dois primeiros filmes servimos Agua e Café, a Bomboniere do Cinema continua aberta e ao final é servido um café da manhã completo aos "sobreviventes"”, registra o coordenador do projeto, Roberto Nunes.
Este Projeto é desenvolvido pela Produtora Cine Vídeo e Educação, que há 3 anos idealizou e coordena o Cine Cult em 21 complexos da Cinemark distribuídos por 14 cidades do país.
Este Projeto é desenvolvido pela Produtora Cine Vídeo e Educação, que há 3 anos idealizou e coordena o Cine Cult em 21 complexos da Cinemark distribuídos por 14 cidades do país. Em Natal, os filmes exibidos serão o fantástico e premiado argentino “O segredo dos seus olhos”, “Soul kitchen” e um filme-surpresa. Mais informações e ingressos pelo e-mail cinecultnatal@gmail.com

20 municípios do RN terão tropas federais nas eleições

O processo eleitoral no Rio Grande do Norte terá um diferencial este ano com atenção voltada para conter a compra ilícita de votos e promover a manutenção da paz no dia 3 de outubro. O reforço das tropas do exército no dia da votação contará com o apoio das policias Federal, Civil, Militar, Rodoviária Federal e o Tribunal Regional Eleitoral (TRE).
Os 20 municípios que tiveram os pedidos de tropas federais deferidos pelo TRE fazem parte de 11 zonas eleitorais. Os municípios são: Caraúbas, São José de Mipibú, Macau, Guamaré, Campo Grande, Paraú, Triunfo Potiguar, Apodi, Severiano Melo, Itaú, Felipe Guerra, Rodolfo Fernandes, Serrinhas dos Pintos, Lagoa Salgada, São Fernando, Timbaúba dos Batistas, Pendências, Alto do Rodrigues, Pedro Avelino e Galinhos.
Agora, os pedidos serão encaminhados ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e deverão ser julgados em até quinze dias, mas os municípios que quiserem pedir reforço policial ainda podem encaminhar o pedido.
A expectativa do TRE é que as eleições transcorram sem problemas e sem re­gistros de ações violentas em todos os municípios do Estado.

Prefeitura de Natal não faz “dever de casa” perde convênio com habitacional

O blog reproduz matéria da Tribuna do Norte, escrita pela jornalista Guia Dantas, sobre mais uma trapalhada da Prefeitura Municipal de Natal. Confira:

Guia Dantas (Tribuna do Norte)

Trezentos e oitenta e oito natalenses viram escapar das mãos o sonho da casa própria. Isso aconteceu no último dia 13 de agosto, quando a Companhia Hipotecária Brasileira (CHB) rescindiu o convênio de n.º 021/2009 com a Prefeitura Municipal de Natal (PMN) por constatar a impossibilidade de concretizar, na capital, a implementação do Programa de Subsídio a Habitação de Interesse Social (PSH). Os recursos, oriundos sobretudo do Governo Federal, devem ser repassados a outro município do país. Talvez nem fique no Rio Grande do Norte. O motivo alegado pela CHB para o cancelamento do contrato é que apenas uma das três atribuições de responsabilidade da prefeitura foi rigorosamente cumprida e o contrato tem prazo final estipulado para janeiro de 2011, quando as 388 casas deveriam estar construídas e entregues aos beneficiários.

A administração municipal deixou de repassar a contrapartida de R$ 1,08 milhão e de ter doado o terreno onde seriam construídas as residências. A participação do município no processo é da Secretaria Municipal de Habitação, Regularização Fundiária e Projetos Estruturantes (Seharpe), mas a parceria tem a assinatura da prefeita de Natal, Micarla de Sousa (PV) como subscritora.

Afora os dois termos do contrato que não foram cumpridos, os demais estavam formalizados a rigor – o aporte de R$ 3,104 milhões de responsabilidade do Ministério das Cidades, do Governo Federal, cujos recursos já estavam disponíveis desde o Orçamento Geral da União (OGU) de 2009; e a seleção das 388 famílias que receberiam as casas, diga-se, única das “tarefas” do município cumprida à risca. O Governo Federal pagaria R$ 12 mil por casa, enquanto que o município de Natal se responsabilizava por outros R$ 2,8 mil.

A assessora jurídica da CHB, Priscila Barros, explicou que foi por meio de portaria do Ministério das Cidades o disciplinamento das ofertas públicas e da participação de cada entidade ao longo do processo. O convênio entre a prefeitura e a CHB foi formalizado no dia 22 de julho de 2009, após a Companhia Hipotecária Brasileira ter vencido o leilão para atuar como instituição financeira. Ela observou ainda que houve insistência por parte da CHB para que Natal não perdesse o direito ao programa, mas as tentativas resultaram inócuas. “Nós queríamos prestigiar Natal porque nossa sede é aqui, mas como lamentavelmente não deu certo, nós estamos analisando as diversas solicitações de regiões do RN e de outros estados, para saber para onde os recursos serão destinados”, afirmou a gerente de programas da CHB”, Miriam Neri.

O último contato da diretoria da instituição financeira com a prefeita de Natal, Micarla de Sousa, visando dar andamento ao contrato, se deu dia 2 de agosto, mais de um ano após ter sido o convênio formalizado. “Demos um prazo de dez dias para que fosse a situação regularizada, mas não obtivemos resposta”, observou Priscila Barros. Antes, porém, a CHB efetuou cobrança do aporte não repassado em 10 de setembro de 2009. A prefeitura não respondeu. Limitou-se a solicitar, em 10 de outubro do mesmo ano, fosse formulado aditivo para ser feito o cronograma de desembolso. A própria prefeitura, afirmaram as representantes da CHB, deixou, mais uma vez, de cumprir o acordado.

Prefeitura chegou a escolher beneficiados

Com o cancelamento do contrato, cujo fim era a construção de residências para pessoas de baixa renda em Natal, a Companhia Hipotecária Nacional encaminhou à Caixa Econômica Federal a retirada dos 388 beneficiários do Cadastro Nacional de Mutuários (Cadmut). Essas pessoas haviam sido escolhidas pela própria Prefeitura, responsável por selecionar os nomes. “Cuidamos de fazer essa exclusão para que essas pessoas não fiquem impedidas de participar de um novo programa de habitação”, explicou Miriam Neri.

A prefeitura de Natal dispõe de uma Secretaria de Habitação e Regularização Fundiária, que tem, para 2010, um orçamento de pouco mais de R$ 100 milhões. O Orçamento Geral do Município (OGU) traz três programas com meta no fortalecimento de um projeto de habitação popular. O Fundo Municipal de Interesse Social (Funhabins), que visa dotar uma estrutura adequada para gerir e implementar a política habitacional; o programa de construção de unidades habitacionais, para atender às famílias de baixa renda; além da política de fortalecimento institucional. Os três somados detém praticamente todo o orçamento da Seharpe.

No último dia seis de agosto, a prefeita Micarla de Sousa assinou decreto de n.º 9.162 destinado à Secretaria Municipal de Habitação e Regularização Fundiária 1.336.900,00 para construção de unidades habitacionais. Cerca de R$ 300 a menos do que necessitaria tornar possível a continuidade e implementação do Programa de Subsídio a Habitação de Interesse Social (PSH).

Outro lado

Secretária diz não ter informações

A TRIBUNA DO NORTE procurou a Prefeitura de Natal, através da secretária municipal de Habitação, Regularização Fundiária e Projetos Estruturantes, Elizabete Thé, para falar sobre o cancelamento do Programa de Subsídio a Habitação de Interesse Social (PSH), no âmbito da capital potiguar. Ela explicou que não dispunha, na tarde de ontem, das informações sobre o que impossibilitou a prefeitura de arcar com as responsabilidades acerca do tema – a contrapartida de R$ 1,08 milhão e também a doação do terreno.

Elizabeth Thé observou ainda que o programa vem de uma gestão anterior a sua, quando estava à frente da pasta a arquiteta Diana Motta. Indagada sobre o porquê de não viabilizar a contrapartida do município limitou-se a dizer que a parte concernente aos recursos é atribuição da Secretaria de Planejamento, Fazenda e Tecnologia da Informação, mas o titular da pasta, Antônio Luna, não atendeu às ligações da reportagem.

Centro de Turismo se transforma no território livre do folclore


Durante a semana do folclore, o Centro de Turismo de Natal (antiga detenção) irá se transformar no território livre do folclore popular. Isso porque irá receber exposições de pintura Naif, escultura popular, xilogravura e cordel, além de apresentações de artistas e danças populares. A abertura acontece na quinta dia 19, às 21h, no Forró com Turista e as exposições estarão abertas ao público na manhã seguinte, sexta dia 20,a partir das 9h.
A decoração do Centro já será uma atração a parte. Logo na entrada o visitante poderá apreciar a coleção de bonecos João Redondo do acervo pessoal do professor Antônio Marques. No pátio estarão expostos cordéis da Casa do Cordel, sob a coordenação de Abaeté e as xilogravuras de Erick Lima, xilógrafo que vem se destacando na produção do estado.
No primeiro andar do Centro, a Galeria de Arte Antiga e Contemporânea, estará expondo os mestres da arte ingênua e da escultura popular. Nas artes plásticas, a homenagem será a Edilson Araújo, artista nascido em Ouro Branco, no interior do estado, mas que hoje atua em São Paulo, onde vem se destacando, alcançando sucesso e reconhecimento. Ganhando, inclusive, prêmios em diversos certames nacionais. Na escultura será homenageado Chico Santeiro, de Currais Novos. Uma homenagem póstuma, uma vez que ele nos deixou em 2009.
A xilogravura será representada por Erick Lima, jovem cientista social que vem se destacando com uma produção ampla e de qualidade. E o cordelista Abaeté deve se mudar para o pátio do Centro com seu acervo de mais de mil títulos da Casa do Cordel.
A celebração do dia do folclore pelo Centro de Turismo já virou uma tradição. Uma entidade que sempre procura incentivar a produção da arte e do artesanato local sempre se antecipando às instituições oficiais. O próprio forró com Turista é uma iniciativa que visa preservar as tradições nordestinas e o forró pé de serra.
O Centro de Turismo espera receber visitantes de todos os locais do estado, principalmente famílias e grupos de colégios. Haverá barraca de comidas típicas, apresentação de grupos de capoeira, e bandas de música e exposição de livros. (

Programação
20/08 – sexta-feira – a partir das 15h
Pátio do Centro de Turismo
Apresentação: Grupo de Capoeira e Libertação – Natal/RN
Banda de música da Escola Municipal Ferreira Itajubá

21/08 (sábado) - a partir das 15h
Pátio do Centro de Turismo
Apresentação do Pastoril e Boi de Reis do Grupo da Associação Cultural do Bom Pastor

22/08 (domingo) - a partir das 16h
Pátio do Centro de Turismo
Apresentação do Grupo Capoeira e Libertação

De 21 a 31 de agosto, a partir das 10h haverá: barracas com comidas típicas, apresentação do sanfoneiro José Domingos, Exposição de Livros sobre pintura ingênua na galeria de artes (1º andar).
Artesão executando trabalhos em areia colorida.
Sorteio de cortesias do Mariana Badauê, Marazul Turismo e Forró com Turista.

Editora lança edital de concurso literário

Objetivando incentivar a literatura no país, dando ênfase na publicação de textos, a GUEMANISSE EDITORA E EVENTOS LTDA. promove o 1º CONCURSO LITERÁRIO GUEMANISSE DE CRÔNICAS, CARTAS E TROVAS, composto por três categorias distintas:

a) Crônicas – Narrativa breve, sobre a vida cotidiana, podendo ser informal, intimista, familiar, etc.
b) Cartas – Textos reais ou imaginários em forma de missivas.
c) Trovas – No estilo tradicional (composta de estrofes de QUATRO versos, com sete sílabas poéticas, rimadas em ABAB).
o qual será regido pelo seguinte

REGULAMENTO

1. Podem concorrer quaisquer pessoas, de qualquer país, desde que os textos inscritos sejam em língua portuguesa. Os trabalhos não precisam ser inéditos e a temática é livre.

2. As inscrições se encerram no dia 10 de SETEMBRO de 2010. Os trabalhos enviados após esta data não serão considerados para efeito do concurso, e, assim como os demais, não serão devolvidos. Para tanto será considerada a data de postagem (correio e internet).

3. O limite de cada CRÔNICA ou CARTA é de até 4 (quatro) páginas e as TROVAS se prendem ao estilo tradicional. Os textos devem ser redigidos em folha A4, corpo 12, espaço 1,5 (entrelinhas) e fonte Times ou Arial.

4. As inscrições podem ser realizadas por correio ou pela internet da forma seguinte:

a) Via postal (correio): os trabalhos podem ser enviados em papel, CD ou disquete 3 ½ para Guemanisse Editora e Eventos Ltda. CAIXA POSTAL 31.530 – CEP 20780-970 - Rio de Janeiro – RJ;

b) Internet: os trabalhos devem ser enviados, em arquivo Word, para o e-mail concursoliterario@guemanisse.com.br (com cópia para) editora@guemanisse.com.br

5. Os textos devem ser remetidos em 1 (uma) via, devendo, em folha (ou arquivo, no caso de Internet) separada, conter os seguintes dados do concorrente:

a) nome completo;

b) nome artístico, com o qual assina a obra e que será divulgado em caso de premiação e/ou publicação;

c) categoria a que concorre;

d) data de nascimento / profissão;

e) endereço completo (com CEP) / e endereço eletrônico (e-mail).

6. Cada concorrente pode realizar quantas inscrições desejar.

7. Para as categorias CRÔNICAS e CARTAS, o valor de cada inscrição é de R$ 30,00 (trinta reais), podendo o autor inscrever até 2 (dois) textos por inscrição. Para a categoria TROVAS, o valor de cada inscrição é de R$ 30,00 (trinta reais) podendo o autor inscrever até 5 (cinco) textos por inscrição. Os valores devem ser depositados em favor de GUEMANISSE EDITORA E EVENTOS LTDA, na Caixa Econômica Federal, Agência 2264 – Oper. 003 – Conta Corrente Nº 451-7

8. A remessa do numerário referente à inscrição, quando feita do exterior, deve ser efetuada através dos correios;

9. Os comprovantes de depósito (nos quais os concorrentes escreverão o nome) devem ser remetidos para Guemanisse Editora e Eventos Ltda. pelo correio, pela internet (escaneados) ou para o fax (21) 3734-2005. Nenhum valor de inscrição será devolvido.

10. Os resultados serão divulgados pelo nosso site www.guemanisse.com.br, pela mídia e através de circular (por e-mail) a todos os participantes, no dia 11 de OUTUBRO de 2010.

11. Cada Comissão Julgadora será composta por 3 (três) nomes ligados à literatura e com reconhecida capacidade artístico-cultural. Ambas as Comissões podem conceder menções honrosas ou especiais.

12. As decisões das Comissões Julgadoras são irrecorríveis.

13. Para cada Categoria (CRÔNICAS, CARTAS e TROCAS), a premiação será nos seguintes valores:

a) Premiação em dinheiro:

1º lugar: R$ 3.000,00 (três mil reais) e publicação do texto em livro;

2º lugar: R$ 2.000,00 (dois mil reais) e publicação do texto em livro;

3º lugar: R$ 1.000,00 (mil reais) e publicação do texto em livro.

b) Premiação de publicação em livro:

Os textos premiados, inclusive os que forem agraciados com MENÇÃO HONROSA e/ou MENÇÃO ESPECIAL, serão publicados em livro (sem ônus para seus autores, inclusive de remessa postal) e cada um destes autores receberá dez exemplares, a título de direitos autorais. Os direitos autorais subseqüentes a esta edição são de propriedade dos seus autores, não tendo a Guemanisse nenhum direito sobre os mesmos. Esta edição específica não poderá ultrapassar a tiragem de 2.000 (dois mil) exemplares, e os livros restantes desta edição serão preferencialmente distribuídos por bibliotecas e escolas públicas.

14. A inscrição no presente concurso implica na aceitação plena deste regulamento.

“Voto casado” beneficia senadores e inquieta wilmismo


Cefas Carvalho

Se a princípio a estratégia dos senadores (e candidatos a reeleição) Garibaldi Alves Filho (PMDB) e José Agripino (DEM) de pedir o “voto casado” para o Senado parecia arriscada, as últimas pesquisas de opinião pública mostram que, pelo contrário, ela pode estar dando certo. Para desespero da ex-governadora Wilma de Faria (PSB) que, em entrevista ao PN há duas semanas, disse que não acreditava no “voto casado” de Garibaldi e Agripino. “Vamos ver até quando eles manterão isso”, afirmou.
Contudo, os números da pesquisa Certus (divulgada pelo jornal Tribuna do Norte no dia 10) mostram que a estratégia de “Gari” e Jajá” pode, pelo menos a princípio, ter dado certo. Na pesquisa estimulada (abrangendo os dois votos para o Senado) Garibaldi aparece com 53,74% das intenções de voto. Agripino vem atrás com 50,45% e Wilma apenas em terceiro com 46,59%.
Ainda que a campanha esteja no início e que haja a margem de erro, os números acenderam o sinal de alerta na campanha wilmista. Entre correligionários, há quem defenda que Wilma não faça mais justamente o que ela, em diversas entrevistas, jurou fazer: pregar o voto para ela casado com o do companheiro de chapa, Hugo Manso (PT).
Acontece que a estratégia pode não estar dando certo. Apesar de prestigiado no partido e ex-vereador em Natal, Hugo não tem o peso eleitoral dos ex-governadores Garibaldi e Agripino e é pouco conhecido no interior do Estado. Por isso, wilmistas defendem que na Grande Natal ela deve manter o “casamento de votos” com Hugo, mas, no interior, limitar-se a pedir voto, garantindo um possível segundo voto de eleitores de Garibaldi e Agripino.
Estes dois, por sua vez, colhem, pelo menos por ora, o fruto do “voto casado” e, mais ainda, do casamento do voto de ambos com o voto na candidata ao governo Rosalba Ciarlini (DEM), que lidera com folga todas as pesquisas de opinião pública. Rosalba pede o voto “casado” para ela, Agripino e Garibaldi e a “chapa fechada” beneficia os três. O wilmismo tenta encontrar o antídoto para esta estratégia antes que seja tarde demais.

Entrevista com Sandro Pimentel: “No RN os partidos têm donos e subservientes”


Dando continuidade à série de entrevistas com os candidatos ao Governo do RN e ao Senado para a seção "NO alpendre do PN" do jornal Potiguar Notícias, este blog posta entrevista com o servidor público federal Sandro Pimentel (PSOL) que, pela segunda vez, tenta governar o Rio Grande do Norte. Confira abaixo a entrevista concedida aos jornalistas Cefas Carvalho e Roberto Lucena. As fotos são de Pedro Primitivo Júnior.

Roberto Lucena: Qual o objetivo principal do PSOL nestas eleições?
Mostrar à sociedade potiguar que existem alternativas diferentes e qualificadas. Entendemos que não é possível que o RN continue produzindo apenas melão. Tendo como básico na sua economia apenas o turismo, a fruticultura para exportação, carcinicultura que está em queda. Isso é muito pouco. Precisamos crescer, desenvolver ecologicamente sustentável. Nesse parâmetro, entendemos que seremos o diferencial nessa campanha.
RL: E quais “armas” o PSOL irá usar nessa disputa?
É muito difícil. Começa pelo processo democrático, que no Brasil não existe, onde teremos cerca de um minuto no tempo eleitoral de televisão, enquanto outras candidaturas terão dez, quinze minutos. É difícil com esse tempo. Nossa principal arma é a militância e o nosso programa de governo. Dialogando com a população, mesmo com o tempo ínfimo, mas conseguindo traduzir o nosso sentimento, vamos conseguir ser simpáticos e transmitir o que queremos. Se conseguirmos isso, não tenho dúvidas que a população do RN, inteligente como é, vai escolher o melhor para seu estado. As pessoas precisam sentir amor pelo estado e parar de votar por vício. No RN se vota por vício. “Porque sempre votei em fulano de sobrenome tal, vou votar”. Isso é vício. As pessoas precisam parar com isso e votar por amor ao Estado.
Cefas Carvalho: O PSOL ainda procura marcar terreno no RN ou já está consolidado?
Não entraríamos numa campanha só para demarcar espaço. Entramos porque entendemos que, mesmo com todas as adversidades, temos condições de disputar o pleito para ganhar. Isso é o que nos move: saber que o eleitor potiguar terá uma alternativa qualificada e a chance de ganhar o processo.
RL: O deputado João Maia (PR) disse que a política no RN está muito confusa, ao ponto das “vacas desconhecerem seus bezerros”. Qual sua análise da cena política atual?
João Maia está certo. Mas ele não diz que contribui para isso. Nesse processo, ninguém sabe se ele é bezerro ou vaca. É difícil para o eleitor entender o que é uma sigla partidária. As pessoas votam no nome e se esquecem que existe um projeto partidário, existe uma sigla e um partido. Exceto os partidos que têm donos, que são muitos, a maioria. Esses [partidos] que têm dono não precisam de projetos, de planos, de nada. Tem o dono que manda e têm os subservientes que obedecem as ordens. Para os partidos ideológicos, que têm programa, como o PSOL, entram no processo para tentar conscientizar a população de que é importante votar num projeto e não no nome. Nossa prioridade é isso. Sandro Pimentel não vai falar por Sandro Pimentel. Sandro Pimentel vai falar pelo PSOL e pelo programa de governo.
CC: É possível prever que num hipotético segundo turno o PSOL pregue o voto nulo ou há possibilidade de se aliar a algum candidato?
Nenhuma das duas situações. O PSOL vai para o segundo turno. Nosso objetivo é esse. Não queremos abrir mão desse foco, desse ideal. Vamos fazer o que for possível, dentro da legalidade, para estar no segundo turno. Para o segundo turno só passam dois e há mais candidatos. Existe, portanto, a possibilidade do PSOL ficar de fora. Como existe a possibilidade do PDT, DEM ou PSB ficar de fora. Caso o PSOL fique de fora, no meio do processo vamos reunir a militância e vamos discutir o que iremos fazer.
CC: Qual o projeto do PSOL para o RN?
Algumas coisas temos definidos, uma delas é a educação. No estado, a cada cinco pessoas, uma é analfabeta, ou seja, 20% da população é analfabeta. No estado, há um déficit habitacional onde 130 mil famílias sem ter onde dormir. No RN, quase 25% da população está na miséria. Somos um estado rico. Não conseguimos entender, e entendemos, porque o nosso povo é miserável. Isso é reflexo de uma política atrasada que beneficia meia dúzia da população. Temos como proposta dobrar o número de vagas nas universidades estaduais. Uma das metas, até o final do governo, é ter um restaurante popular em cada município do estado. Vamos nos desenvolver ecologicamente, agrariamente e tecnologicamente. A Coréia do Sul representa 1% do território brasileiro. Aquele país produz a LG, Samsung, Kia Motors e outras tecnologias. No RN, não produzimos nada de tecnologia. Temos meia dúzia de empresas em São Gonçalo, Macaíba, Parnamirim e Natal, e a produção de petróleo em Guamaré. Fora isso, não temos mais nada. Como iremos nos desenvolver sem indústrias? Vamos criar pólos de industrialização. Queremos fazer um projeto de captação de água da chuva como ocorre na Austrália, que é destinado para irrigar plantações. Na educação, temos como meta zerar o analfabetismo.
RL: Essa será a terceira disputa majoritária que o senhor participa. Quais as lições ou arrependimentos trazidos das campanhas de 2006 e 2008?
Cada campanha é um processo muito complexo. As falhas de 2006 foram grande pois foi nossa primeira disputa majoritária e não tínhamos estrutura e equipe de marketing. Para esse ano já estão aparecendo pessoas voluntárias que trabalham na área de comunicação para nos dar ajuda. Vamos otimizar nosso micro-tempo. Em 2006 acertamos muito quando caminhamos. Esse ano, vamos viajar mais, dialogar mais. Nossa estrutura é pequena. Não temos cabos eleitorais comprados, não temos vereadores e prefeitos comprados em canto nenhum. O horário eleitoral não chega à grande maioria das cidades. As pessoas não vão me conhecer novamente agora, só vão conhecer as oligarquias. As dificuldades são enormes, mas estamos prontos para encarar esse desafio.
RL: Vou citar o nome de alguns de seus adversários e gostaria que o senhor falasse um pouco deles. Rosalba Ciarlini (DEM), o que falar dela?
Rosalba, no período que foi prefeita de Mossoró, não cumpriu os compromissos assumidos. Além do mais, ao sair, respondeu processos de improbidade administrativa. Pior que isso: se elegeu senadora, está há quatro anos, e não aprovou nenhum projeto no Senado. Isso é vergonhoso. Mais que isso: ela é contra a aprovação da Emenda Constitucional 29, que estabelece que as verbas do Tesouro Nacional sejam destinadas, no mínimo 10%, para a saúde. Rosalba é contra. Imagine alguém que se propõe ser a gestora do Executivo estadual ser contra recursos para a saúde, que está sucateada, que está na UTI. Rosalba demonstra irresponsabilidade social, política e administrativa. Rosalba não merece o voto do potiguar.
RL: E sobre o atual governador Iberê Ferreira (PSB)?
Iberê é a continuidade de Wilma, que infelizmente foi um retrocesso para o nosso estado, que deixou nosso estado na situação de analfabetismo que se encontra. Deixou nosso estado na situação agrária que se encontra, sem política de reforma agrária. É um governo que deixou nosso estado atrasado e participou de vários processos de corrupção. Iberê, com mais de quarenta anos de vida política, o desafio a me mostrar um projeto apenas que tenha tido impacto na economia do RN. Portanto, não merece o voto do eleitor.
RL: Para finalizar, o que dizer de Carlos Eduardo (PDT)?
Costumo dizer que Carlos Eduardo conseguiu ser pior que Marcos Formiga, que, para mim, foi o prefeito de Natal. Carlos foi tão incompetente ao ponto de permitir que, na gestão dele, fosse colocada mais de oito toneladas de medicamento no lixo. Carlos olhou tanto para o umbigo dele que, ao sair, a última canetada foi de liberação de recursos para uma ONG [Organização Não-Governamental] administrada pela esposa dele. Isso é o caos da irresponsabilidade, do descompromisso social com a população. Creio que se o RN avaliar bem as propostas e o perfil de cada candidato, vai ver que esses três [Carlos, Iberê e Rosalba] são farinha do mesmo saco. São siameses. Pregam a mesma política que as grandes oligarquias pregam no RN.

Parnamirim realiza sua 2ª Semana da Cultura

A Prefeitura Municipal de Parnamirim, através da Fundação Parnamirim de Cultura e da Secretaria Municipal de Turismo, realiza a partir do dia 16 de agosto, a 2ª Semana da Cultura. Na programação constam palestras, oficinas, apresentações de danças, ballet e lançamentos de livros.
A abertura do evento que acontecerá no próximo dia 16 às 8h será com uma palestra sobre “os Caminhos da Cultura no Rio Grande do Norte, cujo palestrante será o professor, jornalista e dramaturgo Tarcísio Gurgel. Ainda no dia 16, às 9h haverá uma apresentação de danças folclóricas, cuja professora será a Rosie Marie Nascimento, doutora em em educação e diretora artística do Grupo de Dança Parafolclórico da Universidade federal do Rio Grande do Norte (UFRN)
No dia 17 de agosto, às 16h haverá uma cantoria de viola, com o escritor, pesquisador e repentista Américo Pita. Às 14h , tem show de Mamulengo, com o mamulengeiro Emanoel Amaral, graduado em Comunicação Social , habilitação em Jornalismo, mestre em mamulengo, artista plástico e chargista
Também no dia 17 de agosto, às 9h tem Literatura de Cordel, com o professor José Acací, cordelista, poeta, compositor, autor de diversos livros e cordéis
Às 14h – “Contação de História – Era uma vez e sempre será” com a professora Silvana Amália, contadora de estórias, palestrante e oficineira do Proler
Dia 18/08
PALCO 1
15h – Abertura da II Semana da Cultura
16h – Chegada do Cortejo Cultural
16h30 – Grupo de Dança Xaxado da Fundação Parnamirim de Cultura
16h45 – Grupo de Pastoril D. Joaquina (São Gonçalo do Amarante)
17h05 – Grupo de Balé da Fundação Parnamirim de Cultura – Quatro por um Compasso
17h15 – Coco de Roda – D. Edite de Pium
17h25 – Grupo de Balé da Fundação Parnamirim de Cultura – Boneca de Pano
17h45 – Grupo Boi de Reis Calemba Pintadinho – São Gonçalo do amarante
18h05 – Especial Regional do Projeto Segunda Segunda Meninartecidade em Concerto
18h25 – Violeiros Chico Gomes e Chico Sobrinho
19h – Coração Nordestino – Mazinho e Regina
Lançamento do livro de Bem-te-vis a Gaviões – de autoria do padre Antônio Murilo de Paiva, com a participação do Sexteto Uirapuru da Fundação Parnamirim de Cultura.
19h30 – Grupo de Samba e Chorinho Taio da Gata
20h – Concerto da Banda de Música Trampolim da Vitória, com participação especial de Ivanildo O Sax de Ouro
PALCO 2
Apresentações de Quadrilhas Juninas
No dia 20 de agosto haverá Coco de Roda, Recital de Poesias, Literatura de Cordel, show musical com Almir Padilha Dia 20/08 e o lançamento do livro A Danda dos Cromossomos, de Marcos Medeiros e participação do Quinteto Clarinete e Trio de Flauta Transversal. Show com as Nordestinas, Meirinhos do Forró e Moacir do Repente, mostra de teatro, e apresentação de quadrilhas e apresentações culturais da Fundação Parnamirim de Cultura e das Secretarias de Educação e de Assistência Social.

Hoje é Sexta-feira 13, e no mês de agosto!


Supersticiosos de plantão, nem saiam de casa. E ainda tenham cuidado para não escorregar na hora de sair do banho. Afinal, hoje é uma sexta-feira 13, e no mês de agosto, o mês do desgosto e do cachorro doido. Apesar dos pesares, boas programações culturais em Natal (inclusive shows da banda Grafith e Edson Gomes. Em plena sexta-feira 13! Quem for, que prepare o alho, o pé de coelho e o trevo de quatro folhas!). Mais tarde no blog, parte da programação cultural de hoje. Ah, e uma celebração a ser partilhada com os leitores deste blog: hoje faz um mês que este blogueiro instalou aqui o contador, que amanheceu com 2.526 visitas em 30 dias. Uma honra para veste blogueiro e a vontade/necessidade de tornar o blog ainda mais dinâmico e informativo. E agora dêem licença que vou tomar um banho de sal grosso e volto já.

Poeta e artista plástico lançará 4º livro de poesias em setembro


O poeta e artista plástico Jean Sartief vai lançar em setembro o seu quarto livro de poesias, “O mar sou eu”, que recebeu menção honrosa em 2007 no prêmio Othoniel Menezes, naqueles bons tempos em que a Funcarte realizava concursos literários. Sartief, que vem se destacando como artista plástico (instalações) também deve voltar a São Paulo no mesmo mês de setembro, dar continuidade aos projetos que vem desenvolvendo por aquelas bandas.

Retrato da dor provoca debate sobre guerra no Afeganistão


O blog reproduz abaixo impressionante reportagem do jornalista Rod Nordland, da revista Time sobre a jovem afegã Aisha, que teve o nariz e as orelhas arrancados pela família do marido por “desobediência”. A capa da Time provocou polêmica e choque em todo o mundo. Este blogueiro defende reportagens e capas do gênero, que ilustrem sobre o desrespeito aos direitos humanos e gerem reflexão nas pessoas sobre o mundo em que vivemos (e o mundo em que queremos). Segue a reportagem:

Rod Nordland

Ela não sabe ler nem escrever e nunca tinha ouvido falar da revista "Time", até que um visitante lhe trouxe uma cópia da edição da semana passada, na qual seu rosto, sem nariz, ilustra a capa.
Na quarta-feira, a jovem, cujo nome é Aisha, deixou Cabul para uma longa viagem aos Estados Unidos onde irá passar por uma cirurgia reconstrutiva. No começo do dia, enquanto se preparava para deixar o abrigo de mulheres em um local secreto que tem sido o seu refúgio nos últimos 10 meses, a jovem de 18 anos não sabia da controvérsia em torno da publicação da referida imagem.
"Eu não sei se isso vai ajudar outras mulheres ou não", ela disse, instintivamente cobrindo com a mão o buraco no meio do rosto, como faz sempre que estranhos olham diretamente para ela. "Eu só quero meu nariz de volta".
A reação à cobertura da revista "Time" se tornou uma espécie de teste decisivo sobre as atitudes em relação à guerra e à responsabilidade dos Estados Unidos no Afeganistão. Os críticos da presença americana no país qualificam sua publicação de "chantagem emocional" e até mesmo de “pornografia de guerra", enquanto aqueles que temem as consequências da retirada do Afeganistão a veem como um forte apelo à consciência.
O debate foi alimentado em parte pela escolha do texto que acompanha a imagem: "O que acontece se deixarmos o Afeganistão", claramente sem um ponto de interrogação.
"Isso é exatamente o que vai acontecer", disse Manizha Naderi, referindo-se a casos como o de Aisha. Uma afegã-americana, cujo grupo Women for Afghan Women (Mulheres pelas Mulheres Afegãs, em tradução livre) coordena o abrigo no qual Aisha se hospedou, Naderi concedeu o acesso de fotógrafos à jovem afegã - embora não soubesse que a "Time" veicularia sua fotografia na capa. "As pessoas precisam ver isso e saber o custo de se abandonar o país", disse Naderi.
Como Naderi admite, no entanto, as coisas já estão ruins o suficiente para as mulheres no Afeganistão sem o retorno de um governo Taleban. A emissora Noorin TV de Cabul tem transmitido o que chamou de uma série investigativa sugerindo que os abrigos, todos operados por instituições independentes, são apenas instituições de fachada para a prostituição A série não ofereceu evidências e a emissora nunca enviou ninguém para visitar os abrigos.
O presidente Hamid Karzai, visto como um defensor das mulheres que não conseguiu cumprir suas promessas de indicá-las a cargos em seu gabinete, convocou uma comissão para investigar as denúncias contra os abrigos. Um relatório deverá ser apresentado em breve. O presidente do painel é um mulá conservador, Nematullah Shahrani, que defende publicamente a existência de prostituição nos abrigos.

Aisha é vista em abrigo para mulheres em Cabul, no Afeganistão
Mesmo na ausência de um governo Taleban, as mulheres afegãs sofrem com o extremismo religioso, apesar de terem se beneficiado de um grande progresso. Milhares de escolas para meninas foram abertas desde a queda do regime Taleban e as mulheres atuam ativamente no Parlamento e em grupos de assistência comunitária, nos quais cerca de meio bilhão de dólares em ajuda internacional agora são destinados a programas de igualdade de gênero.
“As feministas há muito afirmam que a invocação da condição da mulher para justificar a ocupação é uma manobra cínica", escreveu Priyamvada Gopal no "The Guardian", um jornal liberal britânico, na quarta-feira, “e a capa da revista Time já é acusada disso”.
O BagNews, um site de esquerda sobre a política das imagens nos meios de comunicação, acredita que a questão tem inclinações de conspiração. "Este título é uma chantagem emocional e a exploração política de gênero para vender o status quo – um envolvimento continuado das forças militares americanas - não é?" Escreveu Michael Shaw.
Richard Stengel, editor da "Time", disse que não. "A imagem é uma janela para a realidade do que está acontecendo – e do que pode acontecer – em uma guerra que atinge e envolve todos nós", ele escreveu em um comunicado no site da revista.
Aisha (ela pediu que seu sobrenome de família não seja revelado) é um símbolo apto dos excessos do Taleban e da sociedade tribal pashtun das partes remotas do Afeganistão. Seu rosto, apesar da desfiguração, é tão bonito como o da menina refugiada afegã cuja fotografia na capa da National Geographic em 1985 se tornou uma imagem icônica da situação do país.
Aos 12 anos, Aisha e sua irmã mais nova foram dadas à família de um combatente Taleban na província de Oruzgan por causa de um costume tribal de resolução de litígios conhecido como "baad". O tio de Aisha havia matado um parente do futuro noivo e, de acordo com o costume, para liquidar a dívida de sangue seu pai deu as duas meninas à família da vítima.
Quando Aisha atingiu a puberdade, ela foi casada com o combatente Taleban, mas uma vez que ele vivia escondido, ela e a irmã foram alojadas com os animais e seus sogros as usavam como escravas, muitas vezes as espancado como punição pelo crime do tio.
Aisha fugiu do abuso, mas seu marido a localizou em Kandahar um ano atrás e a levou de volta para Oruzgan. Em uma montanha isolada, ele cortou seu nariz e suas orelhas e a deixou sangrando. Ela disse que ainda não se lembra de como conseguiu caminhar para encontrar ajuda.
Na cultura pashtun, se diz que um marido que é humilhado por sua mulher “perdeu o nariz”, explicou Naderi. Por isso, do ponto de vista do marido, ele puniu Aisha na mesma moeda.
Trabalhadores de instituições americanas na província de Oruzgan levaram Aisha ao abrigo para mulheres afegãs em Cabul, onde no início ela estava traumatizada demais até mesmo para falar. Eles a apresentaram a um psicólogo e, gradualmente, ela se recuperou, aprendeu a fazer artesanato, mas mostrou pouco interesse no trabalho escolar. Mesmo antes da capa na revista "Time", a organização havia encontrado o apoio da Fundação Grossman Burn, em Calabasas, na Califórnia, que concordou em custear os oito meses de cirurgia reconstrutiva.

Aisha se prepara para viajar aos Estados Unidos, onde fará cirurgia reconstrutiva
Uma vez, durante a estada de Aisha no abrigo, seu pai lhe visitou para tentar convencê-la a voltar para casa de sua família, mas ela se recusou. "Eu ainda estou com raiva do que fizeram comigo", ela disse. Ainda assim, ela gostaria de poder ligar para casa para dizer-lhes que estava indo para a América, ela disse, mas não há cobertura de telefonia celular na área dominada pelo Taleban de onde ela vem.
Aisha usou um terninho rosa brilhante com bordados e pérolas em seu último dia em Cabul, e distribuiu abraços nas outras meninas e mulheres do abrigo. Ela disse que estava feliz e animada com sua viagem para os Estados Unidos.
Ela colocou um vestido preto mais neutro para a viagem ao aeroporto e arrumou o véu debaixo dos olhos. Naderi pegou seu bebê de 14 meses de idade em seu ombro e seguiu para o avião, com Aisha segurando sua camiseta enquanto andava. Este não é um final feliz, salientou Naderi.
"Sua irmã de 10 anos de idade, ainda está lá e não temos ideia de como ela está", disse ela. "Eles provavelmente estão descontando toda a sua raiva sobre ela agora, ou exigindo uma outra menina de sua família para substituir Aisha”.

Com direito de resposta para o PT, TSE ensina jornalismo a Veja

Luis Nassif

Foi necessário a Justiça Eleitoral atender a um pedido do maior partido político brasileiro, para o estado de direito e o jornalismo começarem a ganhar algum espaço na Veja.

Ao longo dos últimos anos, a revista praticou toda sorte de abusos, de acusações falsas ou não comprovadas, assassinou e fabricou reputações, de acordo com suas conveniências de ordem comercial e/ou política.

Há muito tempo deveria ter sido enquadrada. Não para impedir o exercício da liberdade de imprensa, mas para impor um mínimo de responsabilidade à máquina de assassinar reputações em que ela se converteu.

A facilidade de mentir, acusar, achincalhar, adquiriu níveis epidêmicos na revista. Especialmente devido à blindagem da Primeira Instância na Vara de Pinheiros, atrasando por anos a condenação da revista, impedindo o direito de resposta imediato - a rapidez do direito de resposta é diretamente proporcional à sua eficácia.

Agora, condenada a publicar o Direito de Resposta do PT, confira-se a matéria da revista sobre os fundos de pensão: é evidente que os advogados passaram a ler as matérias, antes de sair, para evitar mais condenações.

Duas edições antes, a revista afirmava peremptoriamente que havia um grupo de inteligência da campanha de Dilma montando dossiês contra adversários. Esse grupo teria sido o responsável pelo suposto vazamento da declaração de Eduardo Jorge.

Nesta semana, depois da decisão do TSE, a matéria não fala mais em dossiês preparados pela campanha de Dilma, mas em "grupo do partido l igado à campanha de Dilma", suficientemente vago para impedir uma nova ação.

Mas adiante, diz que Eduardo Jorge "teve seu sigilo fiscal quebrado, mas até hoje não se sabe quem são os autores do crime". Eduardo Jorge "suspeita também que o sigilo de uma de suas contas no Banco do Brasil também foi quebrado". Tudo no condicional, sem afirmações peremptórias, sem acusações gratuitas, antes de dispor de provas.

Prefeito comandará caminhada de 176 km para protestar contra situação dos municípios do RN


O prefeito de Afonso Bezerra, Jackson Bezerra, prepara para a terça-feira dia 10 uma caminhada de 176 km entre Natal e Afonso Bezerra para mobilizar autoridades e população para os problemas vividos pelos municípios. Serão três dias a pé, com os prefeitos e autoridades saindo da Br-101 (altura do Morada da Paz) até chegar dia 13 no município de Afonso Bezerra, onde haverá manifesto e mobilização.

Marília consolida liderança em Macaíba e grupo apóia Iberê


Eleita prefeita de Macaíba em 2008 na primeira eleição que disptou, Marília Dias (PMDB) vem conseguindo consolidar sua liderança política no município e disassociar-se de antigos líderes hoje em declínio e/ou desgaste.
Prova disso é que, mesmo tendo rompido com o ex-prefeito Fernando Cunha e com o irmão deste, Sérgio Cunha, Marília manteve a base política e, mais que isso, mereceu a atenção política de líderes estaduais.
GRUPO UNIDO
Conduzindo a parte administrativa com vigor e seriedade e a parte política com firmeza, Marília manteve o grupo unido, com sete vereadores do seu lado e apenas duas defecções, dos edis Thomás Sena, presidente da Câmara, e Eduardo “Rodo” (veja matéria abaixo).
Administrando uma das dez maiores cidades do Estado e com aprovação popular, Marília se cacifou para ser determinante na eleição deste ano.
A parceria política do PMDB com o PSB levou a prefeita a apoiar a reeleição do governador Iberê Ferreira de Sousa, que, em mais de uma oportunidade, elogiou a administração da prefeita e registrou a parceria política Governo do Estado-Macaíba.
CHAPA
A prefeita e o grupo decidiram apoiar para a presidência da República, Dilma Rousseff; para o Senado, Garibaldi Filho. Para a Câmara Federal, Henrique Alves e para a Assembléia Legislativa, E­ze­quiel Ferreira de Souza.
FATOR PT
Existe a possibilidade do PT se aliar ao PMDB em Macaíba e fazer parte da administração municipal. Fontes ligadas ao líder petista em Macaíba, ex-vereador João Marques, registram que este vê com bons olhos a aliança.
Razões para isso não faltam. Marília e o PT votam em Dilma e Iberê. O PMDB de Henrique, aliado e apoiado pela prefeita, é intimamente ligado ao PT nacional.
Muitos petistas natalenses vêem com bons olhos também a aliança, já que a prefeita Marília faz uma administração progressista, bem avaliada pela população e se afastou dos adversários históricos do PT em Macaíba e no Rio Grande do Norte.

Segundo semestre terá lançamento de livros de autores potiguares


Após um primeiro semestre com pouquíssimos lançamentos de livros de autores potiguares, o segundo semestre promete. Em agosto, teremos o lançamento do novo livro (de crônicas) de Nei Leandro de Castro (foto). Também em agosto, lançamento do novo livro de poesias de Carmem Vasconcelos. O selo literário Caravela, coordenado por José Correia Torres, também promete lançamentos de poesia, contos e romance.

Prazo para inscrição no BNB Cultural vai até dia 13

Prossegue até o próximo dia 13 de agosto, o prazo para inscrições de projetos no Programa BNB de Cultura – Edição 2011 – Parceria BNDES. O Programa é uma linha de patrocínio direto do Banco do Nordeste do Brasil (BNB), com a parceria do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), com dotação orçamentária de R$ 6 milhões, para apoio à produção e difusão da cultura do Nordeste e Norte de Minas Gerais e do Espírito Santo (área de atuação do BNB), mediante seleção pública de projetos.
O edital contendo o regulamento do Programa e os respectivos formulários eletrônicos para inscrição de projetos, bem como as instruções para preenchimento e o modelo de relatório para prestação de contas, estão disponíveis no portal do BNB (www.bnb.gov.br ).

Presidente da Câmara de Macaíba rompe com prefeita e opta pelos Cunha


Observadores da cena política acreditam que as composições partidárias da eleição deste ano irão refletir no pleito municipal de 2012. Em Macaíba, o quadro já começa a se desenhar. O presidente da Câmara, vereador Thomás Sena (PMDB), anunciou que não faz mais parte do grupo político liderado pela prefeita Marília Dias, do seu partido.
É tanto, que os candidatos que irá apoiar nesta eleição são outros, totalmente distintos dos apoiados pela prefeita. Ao invés de Iberê Ferreira (PSB) para governador, Sena optou por votar em Rosalba Ciarlini (DEM); para deputado federal, fechou com João Maia (PR); para deputado estadual, resolveu ficar com Miguel Weber (PV). As únicas escolhas em comum com Marília Dias são os candidatos ao Senado Federal: José Agripino (DEM) e Garibaldi Filho (PMDB).
Sena passa a integrar o grupo de Rosalba Ciarlini, que em Macaíba está sendo representado pelo ex-prefeito Fernando Cunha, hoje no PMN. Na prática, Sena se aproxima de Fernando e do irmão deste, Sérgio Cunha.
Indagado do porquê da opção dos seus candidatos, Sena justificou que vota em Miguel Weber porque o candidato é natural de Macaíba. Já João Maia, mencionou que o candidato tem compromisso com o município, que é viabilizara obras estruturantes, entre elas a nova ponte sobre o Rio Jundiaí, que desafogará o trânsito na cidade.

Filhos, porque tê-los (na Assembléia Legislativa)



Se Aluízio Alves conseguiu nos anos 90 eleger dois filhos (Henrique Eduardo Alves e Ana Catarina) para a Câmara Federal, Wilma de Faria tenta façanha semelhante para a Assembléia Legislativa do RN. Quer fazer os filhos Márcia Maia (que já é parlamentar) e Lauro Maia deputados estaduais.

Colégio realiza simpósio sobre Guerras Mundiais


O Colégio Ciências Aplicadas promove no período de 6 a 9 o seu 6º Simpósio, desta vez abordando tema relevante para reflexão: “Um olhar sobre as grandes guerras”, com início às 17h30, desta sexta-feira, na sede da instituição, localizada a rua Nossa Senhora de Lourdes, 59, Tirol, ao lado da sede da Caern.

De acordo com o responsável pelo evento, o professor e escritor Plínio Sanderson, a data escolhida coincide com o lançamento desnecessário das duas bombas atômicas que os Estados Unidos lançaram sobre as cidades japonesas de Hiroshima (06 de agosto) e Nagasaki (09 de agosto), que mataram imediatamente 220 mil pessoas e deixaram outras milhares com seqüelas até a morte.

Mas, a guerra que trás horror e morte também pode beneficiar cidades e até países. A Segunda Guerra Mundial, por exemplo, trouxe benefícios para Natal, por causa da base americana montada em Parnamirim, reconhecida pela mídia da época como “Trampolim da Vitória”. Daqui os bombardeiros americanos voavam sobre o oceano Atlântico para combater as tropas do general alemão Van Rommel, nós desertos da África.
.
Fazenda iluminada

Depois da chegada dos americanos, a capital do Rio Grande do Norte, que segundo o mestre Câmara Cascudo escreveu na época, “era uma fazenda iluminada”, modernizou-se e recebeu vários benefícios devido a construções que nasceram da necessidade dos combatentes, como a maternidade Januário Cicco, por exemplo, que foi construída para ser um hospital de campanha dos “gringos”. Por aqui também circulou muito dinheiro representado pelo valorizado dólar.

Palestras

Sobre “A influencia da guerra na evolução urbana de Natal” a arquiteta Anna Rachel Baracho iniciará o ciclo de palestras planejadas, que ocorrerão durante as várias atividades do evento.

O professor Alexandre Pinto e o professor Roncalli farão uma abordagem geral sobre a 1ª Guerra Mundial, o advogado José Gurgel Guará falará sobre a entrada dos Estados Unidos na 2ª Guerra, após o ataque de Pearl Harbor e o professor Robério Paulino Rodrigues falará sobre o estalinismo durante a 2ª Guerra Mundial. Haverá, também, várias aulas sobre as duas grandes guerras, exibição de filmes sobre o assunto e exposições de artefatos da época.
.
Serviço
Um olhar sobre as grandes guerras
Colégio de Ciências Aplicadas, rua Nossa Senhora de Lourdes, 59, Tirol, ao lado da sede da Caern.
De 06 a 09 de agosto
Temática central: 1ª e 2ª guerras nos cenários geopolítico, científico e humano
Apoios: Ipham, Frampa (Museu da Rampa), Professor José Guará, da Associação FEB, UFRN (departamento de políticas públicas) e Centro Israelita.
Mais informações:
Professor Plínio Sanderson - 9983 - 5667
Colégio Ciências Aplicadas - 3611 - 1736